Desde que Marcus Brutus começou a exibir seu trabalho há quase dezoito meses, ele rapidamente atraiu a atenção de colecionadores e instituições, com duas exposições individuais, uma monografia intitulada The Uhmericans e uma apresentação individual na EXPO Chicago 2019.
Em pinturas ricas em camadas, muitas retratando cenas da vida afro-americana contemporânea e além, Brutus propositalmente se envolve no ato de colocar a figura negra na frente e no centro da tela.
Mas suas influências vão muito além da história da pintura. Com referências que variam de música, fotografia, literatura, esportes e história sociopolítica, Brutus habilmente funde uma ampla gama de assuntos em narrativas eloquentes que iluminam momentos cotidianos da vida negra, reais e imaginários.
 //dei a elza no Juxtapoz