O conto de uma mulher sobre como seu brinquedo sexual provou valer a pena por cada centavo.

_____

O som de quebrar vidro é o que despertou Trinity.

//Trinity – cujo nome verdadeiro foi preservado – é solteira e vive sozinha. Ela está com quase 20 anos.

Isso aconteceu em 2019, por volta das 3 da manhã, em uma cidade da Costa Leste dos Estados Unidos, em uma casa em que Trinity ainda vive.

O telefone dela estava carregando do outro lado da sala, mas os passos pesados do intruso, que estavam disparando pelo corredor em um clipe rápido, a deixaram assustada demais para pegá-lo. Ele parecia estar indo diretamente para o quarto, para onde Trinity estava na cama com muito medo de se mover.

Ele passou pela sala, onde a TV de tela plana estava pendurada na parede. Ele ignorou o banheiro com seus tentadores armários de remédios e os computadores de mesa e laptops no escritório.

Quando o intruso entrou na sala, apenas um ou dois minutos se passaram desde que Trinity foi acordada.

Tudo aconteceu tão rápido que ela não sabia o que fazer além de permanecer exatamente onde estava, fingindo estar dormindo. Foi o que ela fez, esperando que o homem encontrasse o cofre em seu armário, o pegasse e depois fosse embora, esquecendo tudo sobre ela.

Enquanto estava deitada de lado, com os olhos fechados, ela ouviu. Passos rangiam nas proximidades. Eles estavam se aproximando da cama.

Na hora eu pensei: é preciso revidar antes que ele chegue muito perto“, ela escreveu em um post no Reddit mais tarde. “Mas então [continuei] pensando: e se ele tiver uma arma?

O que aconteceu depois ninguém esperava – nem Trinity, nem o intruso, e certamente não o boneco ao lado dela na cama

A última vez que Trinity fez sexo com um homem foi há cerca de cinco meses.

Embora ela tenha tido alguns namoros na faculdade – “Parecia uma parte necessária da idade adulta” – ela esteve solteira a maior parte de sua vida. Seu relacionamento mais longo durou um ano e meio.

Quando você fica sozinha por tanto tempo, as coisas podem começar a perder seu apelo. Para Trinity, isso aconteceu com a masturbação, tanto da maneira manual quanto com um vibrador.

Havia algo muito vazio em gozar e depois ficar sozinha

Quando uma amiga confidenciou que queria um boneco sexual, Trinity também começou a considerar.

Foi só depois de ouvi-la dizer que me ocorreu que pessoas comuns podem possuí-los e, ainda mais radical, que sou adulta e posso comprar o que quiser, independentemente da opinião da sociedade

Sua amiga acabou comprando um boneco em uma loja online, mas arrependeu-se da compra depois da primeira vez em que o usou. Sua amiga simplesmente “percebeu que não era exatamente o que ela esperava e realmente não era bom para ela“.

Como a amiga se divertiu uma vez usando o boneco, ela não pôde devolvê-lo. Então ela o escondeu no sótão até o dia em que Trinity pediu para vê-lo.

Fiquei impressionada com o quão realista era“, disse ela, acrescentando “tenho certeza de que ela pagou mais por maior flexibilidade dos membros“.

Trinity comprou o boneco de sua amiga em fevereiro, justificando-a como “um presente de dia dos namorados para mim“. Ela pagou 1.400 dólares e concordou em perdoar uma dívida anterior de 500 dólares que sua amiga devia.

Quando Trinity pegou o boneco, sua amiga informou que ele estava completamente limpo com água, sabão, lenços umedecidos e uma esponja. Ele também estava completamente vestido.

Uma vez em casa, Trinity mergulhou o brinquedo com uma camada adicional de desinfetante.

Integrar um boneco sexual em sua vida pode parecer incomum, e talvez até um pouco bizarro. Foi o que aconteceu com Trinity, então ela decidiu dar um nome a ele: Silas.

“Quando o peguei, era muito estranho me envolver em algo tão íntimo com algo tão inanimado e sem vida. Então, ele se tornou Silas, um snowboarder meditativo, mas emocionalmente disponível, que só pode ser totalmente vulnerável perto de mim, na baixa temporada. Foi muito útil realmente entrar nisso e me perder no momento”

Não que “sair com Silas” tenha sido um problema para Trinity. Mesmo que o pau dele seja de plástico – “Um lembrete constante de que, em última análise, é um brinquedo falso e não o verdadeiro negócio” – ele ainda é “permanentemente duro” e tem 25 centímetro de comprimento. Também pode ser movido em qualquer direção.

“Você pode posicioná-lo de flácido, a praticamente um ângulo de 90 graus, para qualquer lugar no meio”

Ter Silas em sua vida também foi educativo. Isso permitiu a Trinity mergulhar mais em seu subconsciente e articular melhor as coisas que a atraem.

Fantasias sobre namorados anteriores, paixões antigas e até colegas de trabalho atuais vêm à mente quando ela usa o boneco.

Ultimamente, ela está se divertindo imaginando Silas como uma das celebridades pelas quais ela gosta, muitas das quais não se parecem com o boneco magro e musculoso. No topo de sua lista, no início de abril, estavam Jason Momoa, Gabriel Iglesias, Robert Downy Jr. e Jonah Hill.

Na noite da invasão de casa, Trinity havia “se divertido muito…” com Silas no início da noite e depois adormecido com ele ao lado dela.

“Não é incomum para mim adormecer depois do sexo com ele ainda na cama. É bom ter uma forma humana para me aconchegar”

Então Silas também estava lá naquela noite, deitado ao lado de Trinity enquanto o intruso espreitava.

Ela ouviu os passos dele se aproximando da cama. Eles pararam a um metro e meio de distância. Então o homem saiu correndo de casa.

Depois que ela teve certeza de que ele não voltaria, Trinity chamou a polícia imediatamente. Então ela vestiu algumas roupas e escondeu Silas no armário.

Trinity é discreta sobre possuir um boneco sexual. Ninguém sabe que ela o tem, a não ser pela amiga de quem ela o comprou.

Quando ela não o usa para prazeres sexuais, o boneco permanece em seu armário. Ela o mantém completamente vestido, para que, se alguém tropeçar nele, ela possa passar por ele como um manequim.

“Eu moro em uma área bastante conservadora e trabalho com grande parte da nossa população local em assuntos delicados, por isso não gostaria que algum boato idiota do bairro fizesse com que alguém se sentisse desconfortável por falar abertamente comigo. Eu também não gostaria de perder amigos ou manchar minha reputação por causa disso”

Então, quando a polícia veio tomar sua declaração, Trinity não mencionou o boneco. Não foi porque ela esqueceu que ele estava na cama com ela; ela simplesmente não viu a relevância.

Se eles perguntassem: ‘Havia algo na cama com você?“, Eu já o teria mencionado. Mas, como perguntaram: “Havia alguém?“, Pensei: “Não, absolutamente não“. “Era tão irrelevante, e em minha mente eu não diria, sendo interrogada, que durante uma invasão doméstica estava com um vibrador na cama”.

. . .

Alguns dias depois, a polícia pegou o homem que invadiu a casa de Trinity. Por meio de questionamentos, eles descobriram que ele viria assaltá-la, pois vinha investigando as casas no bairro há algum tempo e que a dela parecia das mais fáceis porque tinha uma porta de vidro deslizante e uma mulher.

Mas a história dele ainda não estava contribuindo para a polícia. Por que ele saiu? Por que ele não levou nada? Eles ainda precisavam saber, então fizeram Trinity descer à delegacia para revisar sua declaração mais uma vez. Ela lembra que fizeram perguntas como: “Você namora?” “Alguém veio naquela noite?” “Alguém tem chaves da sua casa?“.

Ela respondeu honestamente a todos elas. Mas ela ainda não pensou em falar do boneco.

“Eu pensei que era para excluir o ladrão de alguém que eu conhecia ou alguém com quem eu estava envolvido. Fodendo um pedaço de plástico inanimado, mesmo que tenha a forma de um humano, é o tipo de definição de estar sozinho. Portanto, nunca me passou pela cabeça que alguém estar em casa comigo estivesse sobre a mesa”

Eventualmente, a polícia divulgou tudo para Trinity. Em sua confissão, o intruso havia dito a eles como ele havia chegado ao quarto primeiro para procurar joias nas gavetas e roupas de grife no armário. Aparentemente, esses itens podem ser revendidos por mais dinheiro e são os mais fáceis de sair e encontrar compradores.

Mas ele nunca chegou tão longe. Por quê? Porque ele percebeu que havia um cara na cama, algo que ele não esperava. Não querendo acordá-lo e esperando evitar um confronto, o invasor decidiu ir embora, sem pegar nada.

Foi nesse momento que Trinity se mostrou tímida sobre ter tido um boneco com ela na cama naquela noite.

“Se você ver o Silas com as luzes acesas, duvido que o confunda com um ser humano real”, disse Trinity. “Mas com pouca iluminação, é por pouco”

Os policiais compreenderam e “riram muito disso”. Não é todo dia que você ouve sobre um boneco sexual ajudando a estragar um assalto.

Nos meses desde a tentativa de assalto, Trinity fez uma série de atualizações de segurança em sua casa. Ela adicionou “fechaduras muito mais avançadas” às portas e janelas, uma câmera para a entrada da frente e uma extensão por tempo suficiente para que ela possa carregar o celular da cama.

Seus pais também têm sido muito solidários, participando de algumas atualizações. Eles conseguiram um sistema de segurança residencial com detectores de movimento e o pai dela realmente quer que ela o deixe comprar uma arma para ela.

Ainda assim, ela não contou a história completa do que aconteceu na noite do assalto. Ela provavelmente nunca irá.

Quando perguntaram por que o intruso foi embora sem levar nada, Trinity disse algo como “Acho que meus nervos devem tê-lo atingido”.

Ela achou mais fácil dizer isso do que a verdade: “Meu boneco salvou minha vida“.

//dei a elza no okwhatever

O conto original você pode ler aqui.